Um espaço para boas gargalhadas, ouvindo algumas – não todas! – das nossas principais gafes durante as transmissões.

E também contando alguns episódios pitorescos ou interessantes de nossas viagens por esse mundão afora.

Ah, o título dessa página é uma criação do autor do blog (mais uma!) durante uma transmissão no Engenhão. O jogador se enrolou com a bola, caiu e levantouo-se rapidamente mas acabou perdendo a bola. Na pressa da descrição do lance o narrador acabou lançando uma fusão de “Estabanado” com “Atrapalhado”… e mandou o DESTABALHOADO. O termo viou nick no chat e no orkut e em breve deve ser agregado ao NDLP (Novíssimo Dicionário de Língua Portuguesa).

1 – Na cobertura de Campinense x Vasco, pela Série B de 2009, com essa equipe que está aí, descobri o “delicioso” sabor de Carne de Bode no café da manhã, em Campina Grande, na Parabíba.

Sinceramente? Gostei!

2 – Que tal ouvir na voz mais extraordinária de todos os tempos do Rádio a história da vinheta mais famosa do mundo? Uma homenagem deste blog ao nosso querido Edmo Zarife. Aqui:
ZARIFE FALA DA CRIAÇÃO DA VINHETA BRASIL

3 – O jogo era Flu x Vasco. O time da Colina abriu dois a zero, no primeiro tempo. Na segunda etapa, o tricolor reagiu. Depois de boa triagulação próximo da área Jean, lateral esquerdo acertou belo chute. O locutor estava narrando em cima. Chega na frente da galera, inclusive. Mas, de tão empolgado que ficou com a descrição do lance, não sabia o que dizer. Ele começou a frase com um RE…RE… e não conseguia dizer mais nada! Desligou então o microfone e olhou para o Carlos Eduardo Eboli, comentarista, que estava ao seu lado na cabine e perguntou “RE… o quê, pelo amor de Deus????” Eboli tomou um susto! Pensou em RE…nata, RE…gina… mas disse, compadecido: “RECUPERAÇÃO, MEU FILHO!” O apavorado locutor disparou confiante RECUPERAÇÃO TRICOLOR… e, claro, passada a pressão, agradeceu ao amigo.
Tá aqui, ó! Re-Re-Re-Recuperação

4 – Francisco Aiello é uma dos profissionais mais competentes com quem trabalhei no Rádio. Figura humana simples e conhecedor profundo do jornalismo esportivo. Aiello hoje comenta na Rádio Brasil e também é professor universitário. A homenagem para o nosso Chico está nessa transmissão do jogo do Vasco, em São Januário. Quase não consegui narrar mais o jogo naquela noite. Foi muito divertido: jogadaraço